sexta-feira, 27 de novembro de 2015

Mantras



Mantras


"Se o homem se mantiver em harmonia com o Cosmo 
todos os desequilíbrios deixam de existir."
~Bodhidharmma~

Mantra é uma vibração sonora 
que usamos na maioria das vezes na meditação, 
mas podemos usar independente dela também.

Man, em sânscrito quer dizer mente, e Tra quer dizer instrumento. 
Portanto, mantra quer dizer literalmente instrumento para a liberação da mente. O mantra é uma vibração sonora que, quando emitido corretamente, exerce um efeito poderoso em nosso corpo e mente. Ele acalma nossas mentes e sentidos, relaxam o corpo e nos liga a energias superiores, pois sua vibração provoca a limpeza de energias de vibração mais baixa. 

O mantra é definitivamente uma palavra de poder, 
uma palavra sagrada, que deve ser usado com propriedade e consciência.

Os mantras são sons sagrados que ajudam a entrar em estado de meditação. Dotados de grande força energética, eles também nos ajudam a harmonizar nossos medos, ansiedades e desejos. Para que funcionem bem, convém praticá-los com regularidade, pode ser diariamente, ou pelo menos em dias alternados. 




A palavra mantra provém do sânscrito e tem muitas diferenças sutis de significado “instrumento da mente”, “linguagem divina” e “linguagem da fisiologia espiritual humana” são apenas algumas de suas conotações. O mantra é um instrumento para curar os problemas que todos nós enfrentamos na vida. Como afirma o mestre místico sufi Vilayat Inayat Khan: “A prática do mantra literalmente amassa a carne do corpo com a repetição de sons. As células delicadas dos complexos feixes de nervos são submetidas a um martelar constante, um ataque à carne pelas vibrações do som divino”.

A prática do mantra pode ajudar você a se sentir mais calmo e energizado. Pode ajudá-lo a lidar com situações difíceis ou desagradáveis, propiciando uma idéia do que fazer ou ajudando-o a ter paciência e perspectiva para simplesmente deixar que as coisas aconteçam. O mantra é um método pessoal ativo e pacífico de enfrentar as situações que você deseja mudar. 
São fórmulas antigas de sons divinos registrados pelos antigos sábios da Índia e mantidos em confiança e segredos durante séculos, tanto na Índia como no Tibet.

Como se entoar os Mantras

O Kūlarnava Tantra nos ensina que há três formas de 
fazer um mantra: mentalmente, murmurando, e em voz alta. Dessas maneiras, considera-se que o mantra murmurado seja mais poderoso que aquele feito em voz alta, e que o mantra feito mentalmente seja mais 
eficiente que o murmurado. 

No entanto, a mesma escritura nos aconselha a mudarmos de técnica quando percebermos que estamos perdendo a concentração ou quando estamos nos distraindo, passando da repetição mental para a verbalização em voz alta ou vice-versa.

É possível também associar o mantra com um yantra, um símbolo. Por exemplo, ao gāyatrī mantra corresponde o yantra do mesmo nome, que pode ser visualizado mantendo-se os olhos fechados ou focalizado com eles 
abertos durante a meditação.

Os efeitos que os Mantras causam

Os mantras têm a capacidade de servir como foco para que a mente se concentre. Ela tem seu fluxo e dificilmente pode ser controlada. 
Se você percebe esta dificuldade na sua meditação, isso 
significa que sua mente é totalmente normal.
Respire aliviado, pois isso acontece com todo o mundo. Seu 
trabalho durante o mantra, consiste justamente em 
trazer incessantemente a mente de volta para o som do 
mantra e refletir sobre seu significado. 
Isso traz como conseqüência o aquietamento da mente. 
Essa paz mental não é um fim em si mesmo, mas um meio para 
conseguir o discernimento, para preparar-se para a 
libertação ou mokṣa. 
Muito embora os mantras possam ser usados para relaxar, combater a ansiedade ou o estresse, esse fim não deve ser esquecido.

Conhecer o significado do seu mantra, se você tem um, 
é fundamental. Tem pessoas que afirmam que os mantras 
não tem significado, ou que saber o que o mantra quer dizer não é importante, para afastar a desconfiança dos cristãos, ou para apresentar a prática da meditação sobre eles como algo “científico”.
O Rudrayamālā, um texto antigo de Yoga, diz: “Os 
mantras feitos sem a correspondente ideação são 
apenas um par de letras mecanicamente pronunciadas. 
Não produzirão nenhum fruto, mesmo se repetidas um 
bilhão de vezes.” 
Mantras sem significado não funcionam. 
Todo mantra sânscrito significa alguma coisa ou aponta para algum aspecto da realidade, adequada como tema de reflexão para cada praticante.



Por que os Mantras são em Sânscrito

Na tradição hindu, os mantras são considerados Śrutiḥ, 
revelação. Isso significa que esses sons não foram 
criados por um autor humano, mas percebidos em estado de meditação pelos sábios da antiguidade, chamados ṛṣis. 
Esses sons descrevem as diferentes revelações que estes sábios tiveram, e servem como indicadores para orientar os humanos em direção ao 
autoconhecimento. 
Por exemplo, os mahavākyas, as grandes afirmações da tradição dizem: aham 
Brahma’smi, “eu sou o Ser”, tattvam asi, “tu és Isso (Brahman)”, etc.

A língua sânscrita é considerada uma língua revelada, portanto sagrada, assim como o aramaico, o hebraico ou o latim o são para as religiões judaico-cristãs. Como língua, o sânscrito tem a virtude de conseguir comunicar nuanças de significados muito sutis, e sua vibração sonora produz efeitos não somente na mente mas também, por ressonância,em todas as dimensões da pessoa.

A força do mantra reside em sua entonação correta e na mentalização adequada.



O OM o mais conhecido dos mantras, 
foge a todas as regras gramaticais expostas, 
pois é considerado a síntese de todos os sons.

Existem na tradição indiana centenas de mantras e o uso de cada um tem uma finalidade específica. 
Para quem deseja iniciar-se nesta prática seguem algumas indicações:

Sente-se numa posição confortável e procure relaxar concentrando sua respiração no abdômen. 
A seguir, vocalize o mantra durante um tempo mínimo de três minutos. 
Esta é a forma mais aconselhável para potencializar o mantra, mas se não puder dizê-lo em voz alta, sussurre-o ou apenas mentalize-o.


O instrumental relativamente simples do mantra pode ajudá-lo a enfrentar todas as situações e desafios que você tem diante de si. Mesmo sendo de origem antiga, ele pode ser aplicado a praticamente todos os problemas atuais como bons resultados.



(Asa To Ma) o mais belo Mantra do mundo 


Origem dos Mantras

Os estudiosos modernos e o sacerdotes védicos divergem quanto à época em que os mantras foram registrados por escrito. Alguns eruditos datam os primeiros registros por escrito das quatro escrituras védicas de 1000 a.C., embora a versão mais antiga existente do Rig Veda seja datada só no século XIV da nossa era. No entanto, em The Principal Upanishads, o respeitado sábio S. Radhakrishnan, citando The Religion of the Vedas de Bloomfield, afirma: “Os Vedas não apenas constituem o mais antigo monumento literário da Índia, mas também a mais antiga literatura dos povos indo-europeus, anterior à da Grécia ou de Israel.” Os mais antigos hinos e mantras contidos no Rig Veda são tradicionalmente datados como sendo de 1500 a.C. e possivelmente até mesmo antes e 4000 a.C.

Os sacerdotes hindus afirmam categoricamente que os registros por escrito dos mantras são muito mais antigos do que acreditam as autoridades acadêmicas. A história popularmente aceita dos mantras, que até hoje é transmitida por uma tradição oral ensinada nos templos hinduístas, situa o primeiro escrito na época do Mahabharata, cerca de um milênio antes de Cristo. E os mantras sânscritos já existiam pelo menos dois mil anos antes nos mitos, fábulas e lendas.

Os ensinamentos védicos eram originalmente reservados à classe dos sacerdotes, e seus rituais, assim como os próprios Vedas e os mantras contidos neles, foram transmitidos oralmente por milhares de anos. Depois de passados oralmente de geração em geração, os mantras foram pela primeira vez escritos em sânscritos sobre folhas de palmeiras, para que pudessem ser preservados. Os primeiros “bibliotecários” eram famílias que se dedicavam à preservação desses mantras por escrito. Catalogados por assunto, utilidade e efeito, os mantras eram meticulosamente guardados e protegidos da ação dos elementos. Quando as folhas de palmeiras ficavam quebradiças ou mofadas, os mantras eram recopiados em folhas novas enquanto ainda legíveis.

(Deva Premal - Om Namo Bhagavate)

Com o aumento do número de mantras compilados nem mesmo famílias inteiras conseguiam dar conta da necessidade de recopiá-los para preservar a biblioteca. Para dar conta do crescente acúmulo de novos mantras, foram feitos resumos de algumas partes. Esses resumos condensavam estantes inteiras de informações em um punhado de folhas. Isso funcionava por muitos séculos até o acúmulo voltar a ficar excessivo. Então os conteúdos eram novamente sumarizados. Passavam-se outras tantas centenas de anos e o ciclo voltava a se repetir. Ao longo de todos os vários milênios de compilação dos sumários, certas partes eram consideradas tão importantes que nunca foram resumidas, mas mantidas intactas.

Esses ensinamentos hindus de inspiração e introvisão seguiram um percurso semelhante da transmissão oral para a transcrição em sânscrito. Os Upanishades são os resumos dos resumos dos resumos dos ensinamentos criados há muitos milhares de anos. Os upanishades contêm os Cantos da Floresta, ou Aranyakas, e os Brahmanas, que são fragmentos de obras maiores, extraviadas. Os quadro Vedas sobreviveram quase intactos e na íntegras: Rig Vedas, Artharva Veda, Yajur Veda e Sama Veda. Em certo sentido, os Vedas e os Upanishades são todos coletâneas de mantras sanscríticos reunidos com a intenção de transmitir idéias atemporais a respeito de uma ampla variedade de assuntos.



A quantidade de informações contidas até mesmo nesses sumários fragmentados é espantosa. Um sistema completo de medicina está contida no Artharva Veda – sistema que a medicina ocidental só recentemente começou a reconhecer como válido. No Rig Veda, questões espirituais de cosmologia e desenvolvimento pessoal são expostas em fórmulas e práticas místicas grandiosas. Entre o ano 1000 a.C. e o final do primeiro milênio da era cristã, sábios, eruditos e místicos, como Patañjali (200 a.C.), Shankaracharya (800 d.C.) e outros introduziram práticas ainda mais específicas para o desenvolvimento espiritual e a solução de problemas. É por esses instrumentos que o sânscrito recebeu o título de Deva Língua ou “linguagem dos deuses”, indício de que até mesmo os mortais podem comungar com os deuses e tornar-se iguais a eles: poderosos e imortais. O primeiro requisito, entretanto, é aprender a “falar a língua” e, com isso, usar o poder que ela contém. O mantra é a linguagem pela qual invocamos os deuses e suas energias.

Embora os mantras, os Vedas e os Upanishades sejam todos escritos em sânscrito, essa língua não é mais falada nas conversas corriqueiras. Como o sânscrito não é falado amplamente entre a população em geral de nenhum país, ele é tecnicamente classificado como uma língua “morta”. No entanto, todas as práticas religiosas e tradições hinduístas são ensinadas, conduzidas e transmitidas em sânscrito. A maioria das práticas budistas que fazem uso da palavra expressa continua mantendo o grosso de seu conteúdo em sânscrito. Todos os Swamis e mestres indianos que vieram para o Ocidente praticam sistemas de desenvolvimento pessoal derivados de textos em sânscrito. De maneira que considerar o sânscrito uma língua morta é não levar em conta as práticas diárias de muitos milhões de pessoas.

Além disso, muitas línguas ocidentais, que os dicionários costumam classificar como indo-européias, tem raízes sanscríticas. O sânscrito merece realmente seu outro título, o de “Mãe das Línguas” (ou Língua Mãe), como os eruditos a denominam. Em sânscrito mata é “mãe” e pitra, “pai”, palavras evidentemente próximas das latinas mater e pater. As línguas românicas (espanhol, italiano, português, francês e romeno) são derivadas do latim, que por sua vez é derivado do sânscrito, que foi falado por muitos séculos antes do surgimento do latim.


Aprofundamento nos Mantras

1. Os mantras são sons de base energética. As palavras usadas nas conversas derivam seu poder do significado que contêm. O mantra deriva seu poder do efeito energético produzido por seu som. Recitar um mantra produz uma determinada vibração física em forma de um som que, por sua vez, produz vários “efeitos energéticos” nos corpos físicos e sutil.

2. Os mantras são também sons provenientes dos chakras. Cada uma das cinqüenta letras do alfabeto sânscrito corresponde a uma das cinqüenta pétalas dos seis chakras, da base da coluna à fronte. O mantra sanscrítico transmite vibrações para as letras contidas nas palavras do mantra, que energizam a pétala e atraem a energia espiritual da atmosfera circundante para a pessoa que está recitando o mantra. Dessa maneira, o mantra afeta tanto o seu corpo físico quanto sua consciência espiritual. E a pessoa literalmente cresce, espiritual e fisicamente.

3. O mantra – combinado com a intenção – aumenta os benefícios físicos e espirituais. Quando combinamos a energia física do mantra, a vibração sonora, com a energia mental da intenção e da atenção, aumentamos, fortalecemos e direcionamos o efeito energético do mantra. A intenção, a razão de estarmos recitando o mantra, é transmitida pela vibração física, produzindo um efeito. Essa é a essência do mantra sanscrítico.

4. Os mantras só podem ser expressos em palavras de forma aproximada. Se queremos dizer a uma criança pequena que ela não deve tocar no forno, procuramos explicar a ela que o formo queima. Entretanto, palavras não bastam para passar a experiência. Somente o ato de tocar no forno e ser queimado define o verdadeiro significado das palavras “quente” e “queimar”, quando relacionadas com “forno”. Em essência, não existe nenhuma linguagem que traduza a experiência de ser queimado. O mesmo acontece com os mantras. A única verdadeira definição é a experiência que o mantra acaba produzindo na pessoa que o pratica. No entanto, da “vidência” original de um determinado mantra até as experiências partilhadas de maneira idêntica pelas pessoas que o usaram posteriormente, o mantra vai ganhar uma “definição baseada na experiência”, ou seja, ela vai ficar conhecido pelos efeitos que produz.



5. O mantra energiza o prana. Prana é a energia essencial que pode ser transferida de uma pessoa para outra. Certos terapeutas operam através de uma transferência consciente de prana; um terapeuta de massagem habilidoso, por exemplo, pode muitas vezes transferir prana com efeitos benéficos. A autocura também é possível através da concentração de prana em órgãos específicos. Quando recitamos um determinado mantra visualizando um órgão interno banhando em luz, o poder do mantra pode concentra-se nesse órgão com efeito positivo. O ato de visualizar, nesse caso, funciona como intenção, foco e direcionamento da energia produzida pelo mantra.

6. Os mantras produzem energias comparáveis à do fogo. O fogo pode cozinhar sua comida ou incendiar uma floresta. É o mesmo fogo. Os mantras, também invocam energias poderosas e, por isso, devem ser tratados com respeito. Existem certar formular tão poderosas de mantras que têm de ser aprendidas e praticadas sob supervisão cuidadosa de um instrutor qualificado. Essas são mantidas como segredos bem guardados e não deixaram o Extremo Oriente. Os mantras que são amplamente usados no Ocidente são perfeitamente seguros para serem praticados diariamente, mesmo com intensidade.

A consciência humana existe simultaneamente em muitos níveis. Na realidade, é uma complexidade de estados de consciência distribuídos pelos corpos físicos e etéricos. De fato, cada órgão do corpo tem uma consciência primitiva própria que lhe permite desempenhar certas funções específicas. Cada órgão é também parte de um sistema. Os sistemas cardiovascular, reprodutivo, digestivo e nervoso, todos incluem órgãos funcionando em estágios um pouco diferentes de um mesmo processo. Níveis semelhantes de funcionamento e estados de consciência existem também no corpo sutil.


A Prática de Mantras

Quando recitamos mantras, desencadeamos uma vibração poderosa que corresponde tanto a um nível específico de energia espiritual quanto a um estado de consciência de forma embrionária. Aos poucos, a vibração do mantra começa a superar todas as vibrações menores. Essas acabam sendo absorvidas pelo mantra. Depois de um tempo, cuja extensão varia de pessoa para pessoa, a grande onda vibratória do mantra silencia todas as outras vibrações no interior de determinados órgãos e sistemas. Finalmente, a pessoa estará em perfeita harmonia com a energia e o estado espiritual representados pelo mantra contido nele.

A prática de mantra sanscrítico aumenta a vitalidade e a capacidade de utilização de energia pelos chakras no nosso corpo etérico e pelos órgãos de nosso corpo físico. À medida que vamos nos aperfeiçoando como praticantes de mantras, novas experiências podem nos ser proporcionadas. Certas pessoas podem começar a ver auras – as faixas de luzes coloridas que envolvem cada um de nós como uma auréola. Outras podem perceber a entrada de uma energia misteriosa pelas mãos ou pelos pés. E que a intuição começa a ficar muito mais aguçada.

Assim como existe uma grande variedade de habilidade humanas, existem também uma grande diversidade de aplicações para essa nova energia disponível. Muitos de nós terão seus males físicos curados, condições de vida indesejadas alteradas e karmas negativos eliminados.

Durante toda a nossa vida, a energia vital do prana perpassa o nosso sistema bioespiritual. Os chakras rodopiam, recebendo e distribuindo energia, e os órgãos físicos desempenham suas funções como a energia disponível.

Exatamente como a prática de mantra purifica e energiza o corpo, a repetição dele tem um efeito similar no corpo sutil. Mesmo a recitação de uma mantra em voz extremamente suave afeta os chakras que correspondem aos centros nervosos do corpo físico. O simples fato de pensar num mantra – pronunciando-o mentalmente em silêncio pode estimular o processo de remoção de impurezas espirituais, energizando os chakras e queimando os karmas.



O Mantra Sagrado - OM

O termo em sânscrito ou Mantra OM, alude a linguagem como emanação ou expressão do Manas, a Mente. Um Mantra é um instrumento da Mente, do Pensamento. Na filosofia Hindu, um texto Sagrado, uma oração, um verso, uma palavra ou um simples Som pode ser um Mantra.


Ao referir Mantra, estamos citando a palavra não só como veículo de informação, mas como Poder e Movimento.
Conta a Tradição Hindu que o OM foi revelado aos Sri (Sábios videntes) que receberam os Vedas em tempos imemoriais, quando estavam em estado arrebatado de meditação, em contato com o "Alto".

Antes do Universo manifesto (mana-rupa: o mundo dos nomes e das formas), se encontra o Eterno Logos, Verbo fundamental de Deus, que contém em si, em potência, todas as idéias, todos os nomes e todas as formas. O OM é considerado o Som mais próximo desta Palavra Divina e origem de todas as demais.

Todo o Universo vibra em OM. Seus diversos eventos constituintes são modulações do OM básico: energia vibrando em várias freqüências. OM é Nada-Brahman, "o Som do Absoluto". Por isto sua repetição se torna um veículo para sintonizar a "nossa" consciência com A Consciência Absoluta.

OM em diversas escritas




OM MANI PADME HUM

O mantra Om Mani Padme Hum 
[em tibetano sua pronúncia é Om Mani Peme Hung],
porém, sua origem é indiana, enquanto o estiverem pronunciando 
devem pensar sobre sua significação, pois o 
significado dessas seis sílabas é grande e profundo. 

A primeira, Om, compõe-se das três letras A, U e M, 
que simbolizam o corpo, a palavra e a mente puros e 
sublimes de um Buda.

Om Mani Padme Hum

Podem o corpo, a palavra e a mente impuros ser 
transformados em corpo, palavra e mente puros, ou são 
inteiramente separados? Todos os Budas eram seres 
como nós que, após trilharem o Caminho, tornaram-se 
iluminados. O Budismo não afirma que haja uma pessoa 
que desde sua origem esteja livre de falhas e que 
possua todas as boas qualidades. 
A condição pura do corpo, da palavra e da mente surge ao 
abandonarmos gradualmente os estados impuros e, em conseqüência, 
nos tomarmos puros.

Como se processa isso? O caminho é indicado pelas 
quatro sílabas seguintes: Mani, que significa jóia 
simboliza os fatores do método, a intenção altruísta 
de alcançar a iluminação, a compaixão e o amor. 
Assim como uma jóia é capaz de eliminar a pobreza, a mente 
altruísta da iluminação é capaz de afastar a pobreza, 
ou as dificuldades da existência cíclica e da paz 
solitária. Do mesmo modo como uma jóia satisfaz os 
desejos dos seres sencientes, a intenção altruísta de 
alcançar a iluminação satisfaz as aspirações dos 
seres sencientes.

As duas sílabas, Padme, que significam lótus, 
simbolizam a Sabedoria. Assim como um lótus nasce da 
lama mas não se contamina com ela, a sabedoria é 
capaz de nos colocar em uma situação de não-
contradição, ao passo que há contradição se não temos 
Sabedoria. Existe a Sabedoria que percebe a 
impermanência; a Sabedoria que percebe que as pessoas 
não são auto-suficientes ou substancialmente 
existentes; a Sabedoria que percebe o vazio da 
dualidade, ou seja, a diferença de entidade entre 
sujeito e objeto; e a Sabedoria que percebe o vazio 
da existência inerente. 
Embora existam muitos tipos diferentes de Sabedoria, 
a mais importante é aquela 
que percebe o vazio.

A pureza deve ser alcançada através da unidade 
indivisível do método e da Sabedoria, representada 
pela sílaba final Hum, que indica essa 
indivisibilidade. De acordo com o sistema sutra, a 
indivisibilidade de método e Sabedoria referem-se à 
Sabedoria influenciada pelo método e este 
influenciado por Aquela. 
No mantra, ou veículo tântrico, faz-se referência a uma consciência 
na qual existem de forma completa tanto a Sabedoria 
quanto o método como uma entidade indiferenciável. 
Em termos das sílabas-sementes dos cinco Budas Vitoriosos, 
Hum é a sílaba-semente de Akhobhya — O inalterável, 
O que não se agita, O que nada pode perturbar. 

Desse modo, as seis sílabas, Om Mani Padme Hum significam 
que, em função da prática de um Caminho que é uma 
união indivisível de método e Sabedoria, podemos 
transformar nosso corpo, nossa palavra e nossa mente 
impuros, no corpo, na palavra e na mente sublimes de 
um Buda.
Diz-se que não devemos procurar o Estado de Buda 
fora de nós mesmos; as substâncias para que 
alcancemos o Estado de Buda estão dentro de nós. 

Como Maitreya declara, todos os seres possuem 
a natureza de Buda no seu próprio continuum. Temos 
dentro de nós a semente da pureza, a essência 
d’Aquele que chegou à Verdade, Tathagatagarbha, a 
qual deve se desenvolver completamente e se 
transformar no puro Estado de Buda.


OM NAMO BHAGAVATE VASUDEVAYA

É um dos mantras de evocação do Senhor Krishna. 
OM é a vibração interdimensional que interpenetra a tudo e a todos.
NAMO: Saudação ou reverência ao poder divino.
BHAGAVATE: Respeito ao Senhor.
VASUDEVAYA: Vasudeva é o nome da família carnal que 
criou Krishna. 
O Ya acrescentado no final significa a característica ativa (masculina) 
do mantra. 


Quando alguém canta esse mantra completo, 
evoca Krishna como homem que também viveu aqui na Terra e 
sabe das dificuldades enfrentadas por todos.

Gayatri Mantra

Deusa Gayatri

O Gayatri Mantra é o mais poderoso mantra dos Vedas. 
É devotado à deusa Gayatri (Mãe dos Vedas) e foi criado para receber as vibrações solares que nos trazem vigor e entusiasmo. 
Recomenda-se que ele seja cantado pela manhã, durante ou um pouco após o nascer do sol.

OM BURBU VAA SUAA
TATSA VITUR VARENN IAMMM
BARGOOO DE-VASSIA DII-MARRIIII
DIOIO NAA PRATCHO DAIAT

[Tradução: Contemplemos o esplendor do divino Sol 
vivificante, presente na terra, na atmosfera e no 
céu. Que ele ilumine nossa visão.]
[Rig Veda, III:62,10.]

Gāyatrī significa “canção” ou “meio para chegar”. 
O Gāyatrī é considerado o mais sagrado dos sons de 
poder. Deve fazer-se preferentemente no momento do 
nascer e no momento do pôr-do-sol bem como ao 
meio dia. Este mantra é usado como japa para meditar, 
como parte do homa, ritual do fogo, ou durante o 
prānāyāma, como unidade de contagem do tempo (mātra), 
quando o respiratório recebe o nome de prāṇa yajña.

Os ṛiṣhis vislumbraram que a vocalização desta 
combinação de sílabas gera poder no indivíduo e 
inspira sabedoria, motivando-o a agir corretamente. 
A sabedoria e o poder intrínsecos ao mantra nos 
permitem captar a unidade existente na natureza. 
Nas Upaniṣads, o Gāyatrī aparece como o símbolo do Todo.

"O significado do Gāyatrī é que, Īśvara, aquele que 
remove as confusões, que brilha como o sol e queima a 
ignorância com esse resplendor, possa iluminar nossas 
mentes para que possamos tomar as decisões corretas a 
cada momento. 
O mantra não pede poder ou riquezas, 
mas clareza de mente, pois isso é o único que 
precisamos". 
Swāmi Dayānanda.


(Gayatri Mantra)


Alguns Mantras Sagrados e suas indicações 


.: OM MANI PADME HUM (mantra para harmonizar os chakras e iluminação)

.: OM MANE PADME HUM HRI(mantra para harmonizar os chakras e iluminação)

(Om Mani Padme Hum)

.: OM BABAGI AH HUM (mantra para iluminação, sabedoria, amor e desapego)

.: OM YAMANTAKA HUM PHAT (mantra dque elimina os padrões mentais negativos)

.: OM HRIM GAURYAI NAMAH (mantra para desenvolvimento em todas as áreas)

.:OM GAN GANAPATAYER NAMAHA ( mantra ao Deus Ganesha)

(Ganesh Maha Mantra)

.: OM SRI GOVINDAYA NAMAH mantra para felicidade e riqueza)

.: OM AH RA PA TSA NA DHI(mantra para iniciação a ioga)

.: OM TARE TUTTARE TURE SVAHA(mantra para iniciação a ioga)

(Om Tare Tutare)

.: OM VAJRASATTVA HUM
(mantra para iniciação a ioga)

.: OM AH HUM (mantra para iniciação a ioga)

.: OM DHUPE AH HUM (mantra para oferecer incenso)

.: OM KALI AH HUM (mantra saudação á Divindade)

.: OM WAGI SHORI MUM(mantra saudação á Divindade)

.: OM AIM HRIM SRIM KLIM SOU HU OM (mantra chakra coroa)

.: OM KRIM NAMAHA (mantra chakra olho)

.: OM SO HU NAMAHA (mantra chakra garganta)

.: OM AIM HRIM KLIM CHAMUNDAYE VICHE (mantra chakra coração)

.: OM SRIM NAMAHA (mantra chakra plexo)

.: OM HRIM NAMAHA (mantra chakra alma)

.: OM AIM NAMAHA (mantra chakra base)

.: OM SANAT KUMARA AH HUM (mantra para força e coragem)

.: OM CHANDRAYA NAMAH ( mantra para tranqüilidade e clareza de raciocínio)

.: OM TARE TUTARE TURE SOHA (mantra Tara, que contém todos os 21 mantras Tara, harmonia, paz, amor, prosperidade, cura, proteção, etc.)

.: OM TARE TUTARE TURE DZAMBEH MOHEH DANA METI SHRI SOHA (mantra de Tara para a prosperidade)

.: OM BEMA TARE SENDARA HRI SARVA LOKA WASHUM KURU HO (mantra de Tara para evoluir)

.: OM TARE TUTARE TURE SARVA ATA SIDDHI SHIDDHI KURU SOHA (mantra de Tara para pedidos)

.: OM VAJRASATTVA HUM (mantra para purificar e esvaziar a mente)

.: OM SRI GANESHAYA NAMAH (mantra para proteção, prosperidade, desobstrução e qualquer pedido)

.: OM SRI KALIKAYA NAMAH (mantra transformador: Karma e auto limitações)

.: OM NAMAH SHIVAYA (mantra transformador: Karma e Auto limitações)

(Om Namah Shivaya - Krishna Das)

.: OM SRI MAHALAKSHMYAI NAMAH (mantra para a prosperidade)

.: OM SRI SARASWATTI NAMAH (mantra para pedir iluminação e desenvolvimento intelectual)

.: OM NARAYANAYA VIDMAHE VASUDEVAYA DHI MAHI TANNO VISHNU PRACHODAYA (mantra para proporcionar força, crescimento, bem estar espiritual, físico, mental e emocional.

.: OM HRIM BRAHMAYA NAMAH (mantra para elevar o estado de animo, para felicidade)

.: OM KLIM KRISHNAYA NAMAH (mantra para termos paz, coragem e poder)

.: AUM SOM SOMAYE NAMAH AUM (mantra para controlar nosso psiquismo, transmutar a energia solar em energia visual, magnética e protetora)

.: Mantras que canalizam a energia solar: renova: metabolismo, vigor físico, emocional e mental.

. OM BHUR BHUWAH SWAH

. TAT SAVITUR VARENYAM

. BHARGO DEVASYA DHIMAHI

. DHIYO YO NAH PRACHODAYAT

: AUM BRING HANSAH SURYAYE NAMAH AUM (mantra para purificação, iluminação, prosperidade e revitalizante)

.: HÃMURÃBI ÕM SHIKTË SANSALA PHRÃSHIVATA ( mantra para obter vitória )

.: OH HA HUM VAJRA GURU PADME SIDDHI HUM

.: OH AH MA RA NI JI VAN TI YE SVAHA

.: PÃLAYATI GRHA ARI OM ( mantra para proteger a casa dos inimigos )

.: PÃLAYATI GRHASTHA ARI OM ( mantra para proteger o dono da casa dos inimigos )

.: GATE GATE PARAGATE PARASANGATE BODHI SVAHA

.: TATYATA OM MUNI MUNI MAHA MUNI SHAKYAMUNIYE SVAHA

.: RAM YAM KAM (mantra para equilibrar as energias do ambiente)

.: ALMANAH MARE ÃLBEHA AREHAIL ( mantra para proteção ) 


Fonte: http://ventosdepaz.blogspot.com.br/p/mantras.html

terça-feira, 3 de novembro de 2015

O mundo da Física Quântica: Tudo é Energia





Físicos provaram sem margem de dúvidas que o mundo físico é um grande mar de energia que pisca em milissegundos, repetidas vezes.

Nada é Sólido.
Este é o mundo da Física Quântica.

Eles provaram que os pensamentos é que colocam tudo junto e unem este campo de energia em constante mudança criando a “realidade” que vemos.

Então, por que vemos uma pessoa em vez de um aglomerado piscante de energia ?

Pense em um rolo de filme.
Um filme é uma coleção de aproximadamente 24 quadros por segundo. Cada quadro é separado por um intervalo. No entanto, por causa da velocidade com que um quadro substitui o outro, nossos olhos são enganados e pensamos que vemos uma imagem contínua e em movimento.

Pense na televisão.
Um tubo de TV é simplesmente um tubo com vários elétrons atingindo a tela de uma certa maneira, criando a ilusão de forma e movimento.

Isto é o que todos os objetos são de qualquer forma. O ser humano tem 5 sentidos físicos (visão, audição, tato, olfato e paladar).

Cada um desses sentidos tem um espectro específico (por exemplo, um cão ouve uma gama diferente de som do que o ser humano, uma serpente vê um espectro de luz diferente do que o ser humano e assim por diante).

Em outras palavras, o seu conjunto de sentidos percebe um mar de energia a partir de um certo ponto de vista limitado e forma uma imagem disto.

Ela não é completa, nem é precisa. É apenas uma interpretação.

Todas as nossas interpretações são baseadas unicamente no “mapa interno” da realidade que temos, e não na verdade real. Nosso “mapa” é resultado de experiências coletivas da nossa vida pessoal.

Nossos pensamentos estão ligados a essa energia invisível e eles determinam a forma que a energia vai assumir. Nossos pensamentos literalmente mudam o Universo de partícula em partícula para criar a vida física.

Olhe ao seu redor.

Tudo que você vê em nosso mundo físico começou como uma idéia, uma idéia que cresceu, que foi compartilhada e se manifestou, crescendo o suficiente até dar a ilusão de um objeto físico através de uma série de etapas.

Nós literalmente nos tornamos a maioria do que pensamos.

Sua vida se torna a maioria do que você imaginou e acreditou.

O mundo é literalmente seu espelho, permitindo-lhe experimentar no plano físico o que você pensa, sente e mantem como sua verdade… Até você alterá-la.

A física quântica nos mostra que o mundo não é a coisa rígida e imutável que parece ser. Em vez disso, é um lugar que está fluido continuamente, construído através dos nossos pensamentos individuais e coletivos.

O que nós pensamos na verdade é realmente uma ilusão, quase como um truque de mágica.

Felizmente nós começamos a descobrir esta ilusão e mais importante, como mudar isto.

O seu corpo é feito do que ?
Nove sistemas compreendem o corpo humano, incluindo o circulatório, digestivo, endócrino, muscular, nervoso, reprodutivo, respiratório, esquelético e urinário.

Que são compostos do que ?
De tecidos e órgãos.

Os tecidos e órgãos são feitos do que ?
Células.

As células são feitas do que ?
Moléculas.

As moléculas são feitas do que?
Átomos.

Os átomos são feitos do que ?
Partículas sub-atômicas.

As partículas subatômicas são feitas do que ?
Energia !

Você e eu somos a luz pura da energia em sua configuração mais bonita e inteligente. A energia que está mudando constantemente sob a superfície e você controla tudo isso com sua poderosa mente.

Você é um grande e poderoso ser humano estelar.

Se você pudesse se enxergar sob um poderoso microscópio eletrônico e realizar alguns experimentos em si mesmo, você poderia ver que é composto de um conjunto de energia em constante mudança na forma de elétrons, nêutrons, fótons e assim por diante.

Assim como é tudo em torno de você. A física quântica nos diz que é o ato de observar um objeto que faz com que ele esteja lá e passa a existir assim que começamos a observá-lo.

Um objeto não existe independentemente do seu observador ! Então, como você pode ver a sua observação, a sua atenção para alguma coisa, e sua intenção, literalmente cria essa coisa.

Isto é científico e comprovado.

O seu mundo é feito de espírito, mente e corpo.

Cada um desses três, espírito, mente e corpo, tem uma função que é única para ele e não compartilhada com o outro. O que você vê com os seus olhos e experimenta com o seu corpo é o mundo físico com o que chamamos de corpo. O corpo é um efeito, criado por uma causa.

Esta causa é o pensamento.

O corpo não pode criar. Ele só pode experimentar e ser experimentado… Que é a sua função original.

O pensamento não pode experimentar… O que ele pode fazer é criar e interpretar. Ele precisa de um mundo de relatividade (o mundo físico do corpo) para experimentar em si.

O espírito é o Tudo O Que É, o que dá vida ao pensamento e ao corpo.

O corpo não tem o poder de criar, ainda que de a ilusão de poder fazê-lo. Essa ilusão é a causa de muita frustração. O Corpo é puramente um efeito, mas não tem o poder de provocar ou criar.

A chave de toda esta informação é você aprender a ver o Universo de forma diferente de como você o vê agora, para que possa manifestar tudo o que você realmente deseja.

Créditos:

Texto de Roberto Legey

http://pensopositivo.com.br/o-mundo-da-fisica-quantica-tudo-e-energia/

sexta-feira, 30 de outubro de 2015

O Campo Unificado


O Campo Unificado é um campo inteligente de energia que conecta tudo e todos no Universo, e nós somos parte integrante dele, vivendo nossa vida aqui na Terra. É a força básica que une toda a matéria e energia que existe, e é o que impulsiona atualmente a transformação de consciência que experimentamos em nossas vidas. Pense em um vasto e inesgotável reservatório dentro do qual tudo existe: tal é a natureza do Campo Unificado.

Ainda estamos engatinhando na compreensão do Campo Unificado, uma vez que a cultura da física clássica e sua visão separatista do mundo ainda predominam em muitos círculos ao redor do globo. Além disso, a teoria da evolução de Darwin ajudou a criar na mente da humanidade um Universo onde a sobrevivência depende de você ser o melhor. A competição é a regra, que vemos tão claramente no mundo dos negócios, na educação e em muitas outras áreas.

Porém, isto está mudando cada vez mais rapidamente. O mundo agora experimenta uma transformação onde todos estes paradigmas, e muitos outros mais, passam por um grande questionamento. Será que a vida não é mais do que apenas competir para ser o melhor? Será que o Universo não é um lugar onde estamos todos interligados na base do nosso ser, para viver de forma cooperativa e desfrutar das maravilhas da natureza? Será que ao invés de ver a vida indo em direção a morte e a separação, não podemos despertar para a Unidade do Espírito? Estas são algumas das questões que já estão sendo respondidas por mentes abertas a investigação e experimentação do novo.

Gregg Braden, conhecido autor que trabalha na conexão da espiritualidade com a ciência, escreve sobre o Campo Unificado, que ele chama de Matriz Divina:

“A Matriz Divina é o nosso mundo. Também é cada coisa no nosso mundo. É o nós, e tudo o que amamos, odiamos, criamos e experimentamos. Vivendo na Matriz Divina, somos como artistas expressando nossas paixões, medos, desejos e mais íntimos sonhos na essência misteriosa de uma tela quântica. Mas essa tela somos nós, como também somos a imagem na tela. Somos a pintura e também o pincel.”1

A física quântica já nos mostrou que não somos meros observadores do Universo. Ao contrário, somos participantes ativos que tem a capacidade de alterar a realidade que observamos. Experimentos já provaram que as propriedades de um elétron mudam enquanto ele está em observação, o que é uma indicação clara que não somos meras vítimas indefesas de um Universo que muitas vezes consideramos injusto e cruel, mas sim atores com capacidade de participar da criação, construindo a sua própria realidade.

As partículas quânticas estão constantemente emitindo e absorvendo energia, mesmo se o sistema estiver no zero absoluto (antes da formulação da mecânica quântica, os cientistas acreditavam que as partículas paravam de se movimentar ao atingir tal temperatura). A implicação disso é que temos à nossa disposição toda a energia que precisamos para fazer qualquer coisa, de graça e de forma abundante. Como diz a jornalista investigativa Lynne McTaggart:

“Se somarmos todas as partículas de todas as variedades no Universo que estão constantemente adquirindo vida e deixando de existir, nos vemos diante de uma vasta e inexaurível fonte de energia…. Foi calculado que a energia total do campo do ponto zero excede toda a energia da matéria por um fator de 1040, ou um seguido de 40 zeros.”2

Nikola Tesla previu que poderia utilizar esta energia para gerar eletricidade infinita para toda a humanidade, sem nenhum custo. Por isso teve seu laboratório destruído e foi condenado ao ostracismo. Hoje, porém, suas descobertas e insights inspiram muitos cientistas ao redor do mundo. Ele provou que o acesso ao Campo Unificado nos oferece energia livre, o que é uma ameaça para a elite dominante.

Mais recentemente, em Julho de 2012, a comunidade científica confirmou a existência da “partícula de Deus”, ou “bóson de Higgs”, que, segundo a interpretação de Adam Trombly, um renomado cientista que resgata o trabalho de Tesla, considera ser o Campo Unificado. Ele diz:

“No que poderia ter sido chamado de a Declaração da Independência da Energia Global, o CERN Research, da Suiça, anunciou a descoberta do “bóson de Higgs”, também conhecida com “partícula de Deus”. A história real é que um grupo internacional de cientistas confirmou a existência de um Campo que a tudo permeia de energia incalculável, que precede e é a fonte de toda a massa. A forma como o anúncio foi feito pelo CERN deixou a impressão que os cientistas haviam meramente descoberto outra “partícula”, outro pequeno pedaço da existência, que tem pouca ou nenhuma relevância aparente para nossas vidas. Eu queria gritar: “É o Campo! Falem para o mundo todo sobre O CAMPO. O campo é o contexto. A partícula é somente um momento, um subproduto do Campo. Não há “partícula de Deus” separada do “Campo de Deus”3.





Mas como podemos utilizar o Campo Unificado de uma forma prática? Bem, no que diz respeito a equipamentos e dispositivos, imagine o que aconteceria no planeta se a eletricidade estivesse disponível para todos, sem exceção, sem custo e sem a necessidade de ser transportada por fios. Ou meios de transporte não poluentes, movidos a ar, sem qualquer vestígio de combustíveis fósseis. O acesso a energia livre requer que nós, enquanto humanidade, resgatemos nossa Verdade Essencial, regida por valores perenes e pela Boa Vontade entre todos. Do contrário, ela se torna uma tecnologia perigosa demais nas mãos de pessoas inescrupulosas.

Outro grupo de cientistas enxergou no Campo Unificado uma forma prática de trazer mais paz e harmonia para o nosso planeta. O Dr. John Hagelin é um renomado cientista quântico americano pioneiro em utilizar o mais avançado conhecimento disponível em termos do Campo Unificado para benefício da humanidade, sendo um dos primeiros a usá-lo para reduzir o crime, a violência, o terrorismo e a guerra em nossa sociedade. Em um artigo para a revista Shift Magazine, do Instituto de Ciências Noéticas, ele escreve:

“Ninguém poderia imaginar, nem mesmo eu, o extraordinário grau em que podemos reduzir a violência social através da meditação, pois não é necessário que todos meditem para gerar efeitos profundos e duradouros na sociedade. Um número relativamente pequeno de pessoas meditando juntas tem um poderoso efeito indireto, reduzindo o estresse em uma determinada área de uma forma mensurável”4.

De fato, em 1993 ele conduziu com sucesso um experimento em Washington DC, para provar que um grupo de 2500 pessoas meditando juntas poderia reduzir a taxa de violência nesta cidade. Assim, ele provou que um pequeno número de pessoas meditando juntas tem um efeito benéfico em toda uma sociedade, neste caso uma cidade com um milhão e meio de habitantes.

Na verdade, a tradição Védica da Índia já conhece o poder do Campo Unificado desde há muitos milênios. De acordo com ela, a consciência, como qualquer outro aspecto da natureza, faz parte de um campo que a tudo permeia, o “Campo da Consciência Transcendental”, que pode ser experimentada pela mente de modo a gerar um estado de harmonia e paz interior. A técnica da MT – Meditação Transcendental, talvez seja a mais conhecida e estudada pelos cientistas. Trazida para o Ocidente na década de 50 por Maharishi Mahesh Yogi, é o método utilizado em muitos experimentos científicos feitos para mostrar como várias pessoas meditando juntas com o foco no Campo Unificado (Campo da Consciência Transcendental) podem ajudar a diminuir o nível de violência e estresse em nossa sociedade 5.

Apesar de ainda não existirem evidências científicas, nós acreditamos que as Tigelas de Cristal de Quartzo podem ser um importante aliado em facilitar nosso acesso ao Campo Unificado. Através da conexão com a Rede Cristalina Planetária, que existe dentro do Campo Unificado, com uma intenção focada e nossas mentes unidas, podemos expandir ainda mais o efeito das nossas ações, sempre em direção a transformação pessoal (em primeiro lugar) e planetária. Por isso, vamos a partir de agora lançar projetos que utilizarão a Rede Cristalina Planetária e o Campo Unificado para maximizar o efeito das nossas intenções.

Gregg Braden revela que o número necessário de pessoas meditando ao mesmo tempo com uma intenção focada é a raiz quadrada de 1% do total de pessoas da população em causa. Isso significa que para o nosso país, com uma população de aproximadamente 194.000.000 de pessoas (Julho 2012), seriam necessárias 1.392 pessoas para afetar o campo na direção da intenção focada6.

Assim, meditações coletivas utilizando as Tigelas de Cristal de Quartzo podem vir a ser um importante elemento para a transformação de nossas vidas e do planeta. Vamos nos conectar a Rede Cristalina e acessar o Campo Unificado para criar a Nova Terra, de fato, aqui e agora. Em nome das gerações que virão!

Fontes:

1 – Braden, Gregg – A Matriz Divina – Ed. Cultrix – Introdução
2 – McTaggart, Lynne – O Campo – Editora Rocco – pg 49
3 – The Project Earth – Adam Trombly – http://projectearth.com/founder-essays/view/48-scientific-proof-of-the-presence-of-the-god-field-confirmed-by-cern
4 – Hagelin, John – Shift Magazine – Junho/Agosto 2007 – pg 16
5 – Permanent Peace – http://permanentpeace.org
6 – Braden, Gregg – A Matriz Divina – Ed. Cultrix – pg 128
- See more at: http://www.somdecristal.com.br/campo-unificado/#sthash.dBHfY11e.dpuf


Texto de Luiz Pontes - http://www.somdecristal.com.br/campo-unificado/

quarta-feira, 28 de outubro de 2015

Mapa Numerológico Natal - Numerologia Pitagórica

Você conhece seu Mapa Numerológico Natal?
Não? Então busque conhecer o seu o quanto antes! :)


Caminho para o Autoconhecimento
Muitos que me conhecem sabem que até um tempo atrás eu não me interessava muito pela numerologia, não havia de minha parte nada contra, mas o interesse em conhecer a fundo não surgia. Até que fui presenteada pelo meu amigo querido Leonardo de Araújo com um Workshop sobre Numerologia, e eis que para minha agradável surpresa, me encantei, me apaixonei, mas acima de tudo, me impressionei com a exatidão das informações contidas num Mapa Numerológico Natal...
Depois do Work iniciei o curso de Numerologia Pitagórica e a cada dia me surpreendo mais.
Sim, este post parece mais com um relato do que com uma apresentação sobre Numerologia não é? Mas não tenho como deixar de expressar minha admiração e gratidão por esse conhecimento que me foi dado!
Agora vamos a Numerologia Pitagórica propriamente dita, ou melhor, ao Mapa Numerológico Natal:
Trata-se de um conteúdo extremamente abrangente, que eu comparo a um manual de instruções para nós, simples mortais...

Através do nosso MNN, elaborado com nosso nome completo e data de nascimento, conhecemos todos os números que influenciam nossa vida, o conteúdo arquetípico desses números nos mostra como somos, o que devemos fazer, quais os nossos reais sonhos, qual nosso caminho de destino e etc. Quando nossa vida não flui, quando eventos negativos acontecem sem que tenhamos nenhum controle, lá está a resposta, nos números!
De todos os inúmeros Mapas que fiz, não houve quem me dissesse "isso não é assim", ou "nada disso aconteceu", ou ainda "isso não faz sentido"... É perfeito!


O que você encontrará no Mapa Numerológico Natal? Seguem os tópicos sobre o que compõe seu Mapa:
Seu número de Alma e sua influência sobre você;
Seu número de destino;
Seu número de expressão,
Seu número de personalidade;
Seu número de desafio;
Espiritualidade;
Seu Ano Pessoal;
Seus Ciclos,
Fases de Realizações e Desafios;
Renascimento;
Relacionamentos familiares;
Relacionamento afetivo e com filhos,
Dons e talentos,
Momentos decisivos importantes;
Legado;
Modo de se relacionar e se comunicar;
Como lidar com desafios e etc

Mas o mais importante de tudo isso é: Saber que através desses números você coloca sua vida num caminho de sucesso e felicidade ou, ao não viver de acordo com essas frequências numéricas, você tira sua vida do eixo e vive inúmeras dificuldades e instabilidades...
Como não temos consciência dessas frequências, é muito fácil bloquearmos ou ativarmos os aspectos negativos desses números, e quando fazemos isso vivemos as consequências...
Portanto, o Mapa Numerológico Natal é sim um Manual de Instruções INDISPENSÁVEL!!!
Além do Mapa Numerológico Natal há também o Mapa Numerológico Anual, que é baseado no MNN, porém voltado a orientar e esclarecer situações e possíveis eventos durante seu Ano Pessoal, que vai de um aniversário a outro.

Você já pode solicitar o seu comigo!
Será gratificante orientá-lo sobre seu Mapa Numerológico Natal!


Contato: 11.98425.7441 (tim) e email: vania.medeiros.terapeuta@gmail.com




Obrigada Leonardo de Araújo pelo gratificante instrumento de autoconhecimento que você me apresentou e presenteou com um conteúdo tão esclarecedor e edificante!!!!


terça-feira, 6 de outubro de 2015

Meditação Para Acalmar a Mente e Curar o Corpo






















A meditação tem provado cientificamente os benefícios de saúde que podem nos ajudar na nossa cura e na manutenção de nosso bem-estar. Todos nós estamos vivendo em um mundo rápido, desafiador por circunstâncias que são potencialmente estressantes. Técnicas de gerenciamento de estresse, que incluem relaxamento demonstram os benefícios mais consistentes. A meditação pode ser uma maneira de silenciar o impacto de eventos estressantes em nossas vidas e nos dá a oportunidade de experimentar este relaxamento profundo. É como tirar umas miniférias no meio de uma vida de trabalho ocupado.

Os benefícios de saúde que a meditação nos proporciona foram estudados pela primeira vez pelo Dr. Herbert Benson em Harvard, quando ele estudou a resposta de relaxamento. Ele descobriu que havia inúmeros efeitos benéficos da meditação sobre a nossa fisiologia, incluindo a atividade diminuída do sistema nervoso simpático, com uma diminuição da nossa frequência cardíaca, frequência respiratória, e os níveis de cortisol, bem como a diminuição do consumo de oxigênio, diminuição dos níveis de lactato no sangue, o que implica melhor atividade metabólica, com um aumento de ondas alfa e teta no EEG (mais profundo estado de consciência), com simetria hemisférica (padrões de ondas cerebrais simétricos, tanto no cérebro direito e esquerdo).

Desde a introdução da resposta de relaxamento, em 1975, de Benson, outros pesquisadores têm demonstrado os benefícios da meditação para a saúde e cura. Por exemplo, um estudo de 2008 publicado no Journal of Personality and Social Psychology concluiu que a prática da meditação aumenta ao longo do tempo emoções positivas. Por sua vez, estes incrementos em recursos pessoais previu aumento da satisfação com a vida e reduziu os sintomas depressivos, bem como diminuiu os sintomas da doença do paciente.

É importante a motivação por trás da meditação. Estamos certamente meditando porque queremos encontrar paz e felicidade e aliviar o nosso sofrimento. Mas os outros também estão sofrendo, e se desenvolvermos uma motivação mais ampla de bondade amorosa e compaixão para com os outros, então a prática da meditação vai suportar o maior fruto. Amor é querer que os outros sejam felizes, e compaixão é querer que os outros sejam livres do sofrimento. Bondade e compaixão são necessárias à motivação e preparam o terreno para uma prática bem- sucedida.

Finalmente, quando estamos meditando, dedicamos o mérito para o bem de todos os seres sem limites no tempo e no espaço. Seja quais forem as qualidades que você pode desenvolver a partir desta prática, usá-las para beneficiar a si mesmo e aos outros, é a essência da virtude. Meditando você vai aprender a acessar os estados mais profundos de meditação por acalmar a mente e, em seguida, examinar a natureza do que se coloca nesse estado.

Fonte: http://www.psychologytoday.com/blog/why-can-t-i-get-better/201401/meditation-and-mindfulness-part-i-calm-abiding-meditation

quinta-feira, 3 de setembro de 2015

O poder quântico criador da nossa mente

Frequentemente a sua realidade é criada e determinada pela sua mente. Se você permanecer fortemente correlacionado com os seus sonhos, projetos ou desejos, então eles se concretizarão mais eficazmente na sua realidade.


Na realidade quântica as partículas são invisíveis, e nada é capaz de captá-las, nem os sentidos humanos e nem os instrumentos da Física. Misteriosamente, os físicos descobriram que para uma partícula se materializar na realidade física, elas necessitam entrar em contato com uma consciência, ou seja, somente quando a partícula é estudada ou observada por uma mente humana, é que então ela é transferida da realidade quântica para a realidade física, e a esse processo os físicos dão o nome de Colapso da Função de Onda, uma das coisas mais fantasmáticas e misteriosas da Física Quântica.

Segundo o Princípio da Simetria, as leis que regem a realidade quântica são as mesmas leis que regem a realidade humana, e isso significa que o mesmo poder que a mente humana tem de materializar partículas, ela também tem de materializar sonhos, projetos e desejos. A única diferença é que na realidade humana as partículas a serem materializadas são substituídas por sonhos, projetos e desejos.

Segundo o Colapso da Função de Onda, a mente humana tem o poder de criar realidades, e sobre esse assunto certamente você já deve ter ouvido falar bastante através da mística e dos cursos de autoajuda. Porém, agora você está ouvindo o testemunho da própria ciência, com base em cálculos e em experimentos de laboratório, e isso faz uma grande diferença.

As pessoas ficariam perplexas se soubessem o quão frequentemente a sua realidade é criada e determinada pela sua mente, produzindo encontros, contextos e circunstâncias positivas ou negativas, dependendo do seu comportamento mental. Os físicos John Von Neuman, Eugene Wigner e David Bohn, ganhadores do Prêmio Nobel, todos eles acreditavam nisso, e portanto também você deveria fazer o mesmo, pois então poderia direcionar esse poder criador da sua mente para propósitos específicos.

Os físicos descobriram que quando duas partículas estão correlacionadas quanticamente, elas interagem instantaneamente uma com a outra, de um modo misterioso e fantástico, mesmo separadas por uma grande distância, e esse processo quântico também ocorre na realidade humana. De fato, se você permanecer fortemente correlacionado com os seus sonhos, projetos ou desejos, então eles se concretizarão mais eficazmente na sua realidade. Mas é preciso saber se correlacionar quanticamente com aquilo que você deseja concretizar na sua vida, e existem diferentes modos de fazer isso.

Através de cálculos e estudos os físicos descobriram que a causa do universo é uma espécie de consciência, que eles chamam de Princípio Antrópico Forte, ou seja, o universo foi criado por essa espécie de consciência universal. Segundo o filósofo Baruch Espinoza, a substância divina está presente em todas as coisas, e tudo o que existe tem uma essência pensante, essa é a doutrina do Pampsiquismo, e entre essas coisas, a realidade humana é a que mais plenamente ostenta essa relação com a Substância Divina ou Consciência Universal.

Essa mesma ideia foi também defendida por eminentes filósofos como William James e Bertrand Russel, e por físicos da estatura de Arthur Eddington e Roger Penrose. É precisamente a presença dessa consciência universal em cada um de nós que nos dá o poder de criar realidades através do Colapso da Função de Onda, e você deveria refletir profundamente sobre isso, antes de achar que não é capaz de realizar o seu sonho ou projeto.

O poder de criar realidades através da nossa mente é uma das mensagens mais estimulantes que a Física Quântica nos transmite, e se você acreditar nisso e for capaz de permanecer fortemente correlacionado com o seu sonho ou projeto, então não há dúvidas de que eles se realizarão na sua vida e na exata medida dos seus desejos. Acredite nisso, pois agora já não se trata mais de misticismo, mas de Física Quântica!

Um abraço quântico!


Texto de Osny Ramos

Fonte: naturalvibe.com.br

sábado, 29 de agosto de 2015

Não é fácil, nem difícil, só natural - Osho

O amor é um estado natural da consciência. Não e nem fácil nem difícil, essas palavras de forma nenhuma se aplicam a ele. Ele não é um esforço; por isso não pode ser fácil nem pode ser difícil. É como respirar! É como as batidas do coração, é como o sangue circulando no nosso corpo.

O amor é o nosso próprio ser... Mas esse amor ficou quase impossível. A sociedade não o permite. A sociedade condiciona você de tal forma que o amor fica impossível e o ódio passa a ser a única coisa possível. Então o ódio é fácil, e o amor não só é difícil como impossível. O homem tem sido deturpado. Ele não pode ser reduzido à escravidão se não for primeiro deturpado. Os políticos e os padres têm participado de uma profunda conspiração ao longo das eras. Eles têm reduzido a humanidade a uma multidão de escravos. Estão destruindo qualquer possibilidade de rebelião no homem - e o amor é uma rebelião, porque o amor ouve só o coração e não dá a mínima para o resto.

O amor é perigoso porque ele faz de você um indivíduo. O Estado e a Igreja... Eles não querem indivíduos, de jeito nenhum. Não querem seres humanos, querem ovelhas. Querem pessoas que só pareçam seres humanos, mas cuja alma tenha sido esmagada de tal maneira, tenha sido danificada a tal ponto, que o estrago pareça quase irremediável.

E a melhor maneira de destruir o homem é destruir sua espontaneidade de amar. Se o homem tiver amor, não poderá haver nações; as nações existem no ódio. Os indianos odeiam os paquistaneses e os paquistaneses odeiam os indianos - só assim esses dois países podem existir. Se o amor surgir, as fronteiras vão desaparecer. Se o amor surgir, então quem vai ser cristão e quem vai ser judeu?

Se o amor surgir, as religiões desaparecerão.

Se o amor surgir, quem irá ao templo? Para quê? É porque está faltando amor que você sai em busca de Deus. Deus não é nada mais do que um substituto para o amor que está faltando. Como você não é bem-aventurado, não está em paz, não está em êxtase, você está em busca de Deus. Se a sua vida é uma dança, Deus já está no seu coração. O coração amoroso está cheio de Deus. Não há necessidade de mais nenhuma busca, não há necessidade de mais nenhuma prece, não há necessidade de ir a templo nenhum, de procurar padre nenhum.

Por isso o padre e o político, esses dois, são inimigos da humanidade. Eles estão conspirando, pois o político quer governar seu corpo e o padre quer governar sua alma. E o segredo é o mesmo: destruir o amor. Então o homem passa a ser nada além de uma vacuidade, de um vazio, uma existência sem sentido. Então você pode fazer o que quiser com a humanidade e ninguém se rebelará, ninguém terá coragem suficiente para se rebelar.

O amor dá coragem, o amor leva todo o medo embora - e os opressores dependem do seu medo. Eles criam medo em você, mil e um tipos de medo. Você fica cercado de medos, toda a sua psicologia é cheia de medos. Lá no fundo você está tremendo. Só na superfície você mantém uma certa fachada; mas, dentro de você, existem camadas e camadas de medo.

Um homem cheio de medo só pode odiar - o ódio é uma conseqüência natural do medo. Um homem cheio de medo é também cheio de raiva, e um homem cheio de medo é mais contra a vida do que a favor dela. A morte parece um estado repousante para ele. O homem temeroso é suicida, tem uma visão negativa da vida. A vida lhe parece perigosa, pois viver significa que você terá de amar - como você poderá viver? Exatamente como o corpo precisa respirar para viver, a alma precisa de amor para viver. E o amor está definitivamente envenenado.

Envenenando a sua energia de amor, eles criaram uma cisão em você; criaram um inimigo dentro de você, dividiram-no em dois. Eles criaram uma guerra civil, e você está sempre em conflito. E, no conflito, sua energia é dissipada; por isso sua vida não tem sabor, alegria. Não transborda de energia; ela é sem graça, insípida, falta-lhe inteligência.

O amor aguça a inteligência, o medo a embota. Quem quer que você seja inteligente? Não aqueles que estão no poder. Como eles podem querer que você seja inteligente? - porque, se for inteligente, você começará a ver toda a estratégia, os jogos que eles fazem. Eles querem que você seja burro e medíocre. Certamente querem que você seja eficiente no que diz respeito ao trabalho, mas não inteligente; por isso a humanidade vive o seu potencial mínimo.

Os cientistas dizem que o homem comum usa, ao longo de toda vida, só 5% da inteligência. O homem comum, só 5% - e o homem fora do comum? E um Albert Einstein, um Mozart, um Beethoven? Os pesquisadores dizem que mesmo as pessoas muito talentosas não usam mais do que 10%. E aqueles que chamamos de gênios usam só 15%. Pense num mundo em que todos usassem 100% do seu potencial... Então os deuses ficariam enciumados, eles gostariam de nascer na Terra. Então a Terra seria um paraíso, um superparaíso. Do jeito que está agora, ela é um inferno.

Se o homem fosse deixado em paz, em vez de ser envenenado, o amor seria uma coisa simples, muito simples. Não haveria problema nenhum. Seria como a água seguindo a correnteza ou o vapor subindo, as árvores florescendo, os pássaros cantando. Ele seria tão natural e tão espontâneo!

Mas não deixam o homem em paz. Quando a criança nasce, os opressores já estão prontos para cair em cima dela, para dizimar suas energias, distorcê-las a tal ponto, tão profundamente, que a pessoa nunca terá consciência de que está vivendo uma vida falsa, uma pseudovida, de que não esta vivendo a vida como ela deveria ser vivida, como ela nasceu para viver; não saberá que ela está vivendo algo sintético, plástico, que não é sua verdadeira alma. É por isso que milhões de pessoas estão sofrendo do jeito que estão - elas sentem que estão sendo iludidas, que não são elas mesmas, que algo não está muito certo...

O amor é simples se deixarmos que a criança cresça, se a ajudarmos nesse crescimento de uma forma natural. Se a ajudarmos a ficar em harmonia com a natureza e com ela mesma, se a apoiarmos, cuidarmos dela e a estimularmos, em todos os sentidos, a ser ela mesma, uma luz para si mesma, então o amor será simples. Ela será simplesmente amorosa! O ódio será quase impossível porque, antes que você possa ter ódio de alguém, é necessário primeiro que crie o veneno dentro de si mesmo.

Você só pode dar uma coisa a alguém se você a tiver. Só pode odiar se estiver cheio de ódio. E estar cheio de ódio é estar queimando por dentro. Estar cheio de ódio significa que, antes de mais nada, você está machucando a si mesmo. Antes de poder ferir outra pessoa, você tem que ferir a si próprio. O outro pode não ser ferido, isso dependerá dele. Mas uma coisa é absolutamente certa: antes de poder odiar, você tem que ter sofrido muito. A outra pessoa pode não aceitar ser odiada, ela pode rejeitar seu ódio. Ela pode ser um Buda - pode simplesmente rir do seu ódio. Pode perdoar você, pode não ter reação nenhuma. Talvez você não seja capaz de odiá-la, caso ela não esteja pronta para esboçar qualquer reação. Se você não consegue deixá-la perturbada, o que pode fazer ? Sente-se impotente diante dela.

Portanto, a outra pessoa não vai necessariamente se sentir ferida. Embora uma coisa seja absolutamente certa: se você odeia alguém, primeiro tem de ferir sua própria alma de tantas maneiras, tem que estar tão cheio de veneno que consegue atingir os outros com esse veneno.

O ódio não é natural. O amor é um estado saudável; o ódio é um estado doentio. Assim como a doença não é natural. O ódio acontece só quando você se desvia da natureza, quando já não está em harmonia com a existência, já não está em harmonia com seu próprio ser, com sua essência mais profunda. Então você está doente - psicológica e espiritualmente. O ódio é só um símbolo da doença, e o amor, da saúde, da plenitude e da santidade.

O amor devia ser uma das coisas mais naturais deste mundo, mas não é. Pelo contrário, ele se tornou a coisa mais difícil - quase impossível. Odiar ficou mais fácil; você é treinado, é preparado para odiar. Ser hindu é morrer de ódio dos muçulmanos, dos cristãos, dos judeus; ser cristão é morrer de ódio das outras religiões. Ser nacionalista é morrer de ódio das outras nações. Você só conhece um jeito de amar, que é odiar os outros. Você só consegue mostrar o amor que sente pelo seu país odiando os outros países e só consegue mostrar o amor que sente pela igreja odiando as outras igrejas. Sua vida está uma bagunça.

As assim chamadas religiões continuam a falar de amor e tudo o que elas fazem neste mundo é criar mais e mais ódio. Os cristãos falam de amor e têm criado guerras, cruzadas. Os muçulmanos falam de amor e têm criado jihads, guerras religiosas. Os hindus falam de amor, mas você pode ler nas escrituras desse povo - eles estão cheios de ódio, ódio pelas outras religiões. E nós aceitamos toda essa bobagem! Aceitamos sem demonstrar nenhuma resistência, porque fomos condicionados a aceitar essas coisas, fomos ensinados que as coisas são assim mesmo. E então você continua a negar sua própria natureza.

O amor tem sido envenenado, mas não destruído. O veneno pode ser neutralizado, pode ser retirado do seu organismo - você pode ser purificado. Pode vomitar tudo o que a sociedade o forçou a engolir. Pode jogar fora todas as suas crenças e todos os seus condicionamentos - pode se libertar. A sociedade não pode fazer de você um escravo para sempre, caso decida ser livre. Chegou a hora de jogar fora todos os padrões obsoletos e começar uma vida nova, uma vida natural, não repressora, uma vida não de renúncia, mas de alegria. Odiar ficará a cada dia mais impossível. O ódio é o pólo oposto do amor, assim como a doença é o pólo oposto da saúde. Mas você não precisa optar pela doença.

A doença oferece umas poucas vantagens que a saúde não pode oferecer; não se apegue a essas vantagens. O ódio também tem umas poucas vantagens que o amor não tem. E você tem que ser muito observador. A pessoa doente ganha a simpatia de todos; ninguém a fere, todo mundo toma cuidado com o que lhe diz, afinal ela é tão doente! Ela é o centro das atenções, o centro de todo o mundo - da família, dos amigos - passa a ser a pessoa de quem todos falam, uma pessoa importante. Agora, se ela se apegar muito a essa importância, ao fato de seu ego estar satisfeito, ela nunca mais vai querer ser uma pessoa saudável. Ela se agarrará à doença. E os psicólogos dizem que existem muitas pessoas apegadas à doença por causa das vantagens que ela oferece. E essas pessoas investiram tanto tempo nessa doença que se esqueceram completamente de que estão apegadas a ela. Tem medo de que, se ficarem saudáveis, não terão mais ninguém.

Você ensina isso também. Quando uma criancinha fica doente, toda a família se volta para ela. Isso é absolutamente não-científico. Quando a criança estiver doente, cuide do corpo dela, mas não lhe dê atenção demais. É perigoso, porque ela associa a doença à atenção que você lhe dá... O que fatalmente acontece, se isso se repetir muito. Sempre que a criança fica doente, ela passa a ser o centro das atenções de toda a família: o papai vem, senta-se ao lado dela e pergunta como está se sentindo, o médico é chamado, os vizinhos começam a aparecer, os amigos perguntam e as pessoas trazem presentinhos...

Ela pode ficar apegada demais a isso; essa atenção toda pode agradar de tal modo o seu ego que a criança pode não querer ficar boa de novo. E, se isso acontecer, então será impossível ficar saudável. Nenhum remédio a curará. A pessoa se compromete com a doença. E isso é o que acontece com muitas pessoas, com a maioria. Quando você odeia, seu ego fica satisfeito. O ego só pode existir se você odiar, pois quando odeia você se sente superior, sente-se separado, define-se. Quando odeia, você consegue urna certa identidade. No amor, o ego tem de desaparecer. No amor, você não fica mais separado - o amor o ajuda a se fundir com as outras pessoas. Trata-se de um encontro e de uma fusão.

Se você é muito apegado ao ego, odiar é fácil e amar é muito difícil. Fique alerta, atento: o ódio é a sombra do ego. Para amar é preciso grande coragem. É preciso grande coragem porque requer o sacrifício do ego. Só aqueles que estão prontos para se descorporificar são capazes de amar. Só aqueles que estão prontos para transformar-se em nada, para esvaziar-se completamente de si mesmos, são capazes de receber, do além, o dom de amar.


OSHO